sábado, 21 de maio de 2011

Contos : COM SAUDADES DO CAVALO / FINAL


Não preciso nem dizer que depois daquela orgia meu buceto estava em brasas, e Lu, sempre me chamando todas as manhãs para tomar meu leite em sua tromba, estava eusinha fazendo meu dono delirar com aquela trolha enterrada na garganta e um geladinho enfiado no cuceto que Lu enfiou que era para refrescar meu cuceto o geladinho derreteu todo devido à quentura do meu rabo era uma sensação gostosa, Ele segurou meu queixo com uma das mãos, apertando me fazendo abrir a boca, e com poucas bombadas, gozou, enchendo-a de leite, além de lambuzar todo meu rosto com porra.
Depois ele guardou o cacete, e eu abri os olhos, maravilhado com o gosto de sêmem daquele macho que eu sempre desejei.
No final daquele boquete tive a sensação que alguém estava nos espionando, fui para casa e Lu disse depois do almoço,quando vou saindo o pai de Lu estava chegando a casa, ele falou comigo, porém de um modo diferente.
Após o almoço vou tomar outra taça de leite,quando chego à casa de Lu quem me atendeu foi seu pai, como sempre entro sem bater ele me mandou entrar e me dirigir até seu quarto quando entrei tomei um susto o pai de Lu estava em pé pelado como veio ao mundo me espantei com o tamanho da taca e a forma ele olho para min e Já mandou chupar.
- Eu disse pra ele que não era viado ele me respondeu por que estava chupando o pau do Lulu.
Fiquei sem graça, E respondi que sim, claro!
O cacete do veio começou a subir ficando igual ao do Lu ou até maior eu acho, mas era toda cheia de calombo, grande, grosaaaaaaaaaa.
Decidi que iria pedir pra me deixar chupar seu pau também, nem me mandou chupar já cair de boca na cabeçorra daquela bizarrice.
Seu Paulo, já que estamos fazendo isso, queria saber se posso te pedir uma coisa?
Nesse momento fiquei com medo de que ele brigasse comigo e resolvi desconversar:
- Ah deixa pra lá! Acho melhor eu continuar chupando esse seu tramboio, me desculpa!
- Hei, calma, volta aqui rapaz! Disse isso segurando meu braço.
- me deixa ir, é melhor!
- Não, é melhor vc ficar aqui e continuar me chupando e se preparar para perder este cabaçinho do cu.
- Você ta gostando de chupar meu cacete?
- Claro que to! É o que eu mais gosto!
- Eu quero que vc saiba q eu tbém to gostando do seu trabalho! To gostando muito,
Fiquei surpreso e disse sem pensar: “—Quero mamar seu pau
“—Só mamar?” Fiquei mais surpreso ainda e fiquei mudo.
Sr Paulo aproveitou e continuou a falar:- eu tenho uma proposta pra vc.
Quero muito sentir essa sua boquinha vermelha no meu pau, mas devo dizer que quero mais ainda sentir meu pau nessa sua bundinha deliciosa!
Fiquei muito excitado,
Disse isso e já pensando em mamar aquela piroca mais ainda. Mas ele me levantou, me virou e apoiou no colchão, e me encoxou, e pude sentir mais ainda seu volume.

Quero que vc sinta meu pau na sua bundinha pra saber se cabe no seu cuzinho
Quero que vc sinta todo o prazer possível, Entendeu?
Tenho que te preparar antes pra receber meu pau entendeu?
- Como vamos fazer então? Ele não sabia que meu cuceto já estava acostumado
- Tenha paciência, vai valer à pena! Ouvindo isso e sendo abraçado eu tremia muito, e tremi mais ainda quando encostou sua boca na minha nuca, forçando sua língua quente e grossa, e me beijando de pitocas após esses carinhos retornei para o boquete.
Demorei chupando seu Paulo e ele perguntando se eu estava gostando mais do que a do seu filhão,
Aproveitei a deixa do coroa e engolir metade do cacete o cara ficou espantado e disse nem a puta da minha mulher consegue engolir o primeiro nó dessa vara, eu comecei a gostar daquele formato do cacete de seu Paulo e engolia ainda mais ele começou a me chamar de sua putinha, seu viado, não agüentei e fui chupar seus ovos eram imensos e todo raspado igual meu cavalo Lu.
Abaixou meu short, e cueca, e começou a enfiar o dedo no meu buceto. Quase fiquei louco com aquilo. Enquanto me bulinava começou a beijar minha mão, passando a língua.
Eu gemia baixinho..., e afundou o dedo na minha bunda. Pude sentir cócegas na minha bunda, aproveitou e enfiou outro dedinho, abria minha bunda com as mãos, e enfiava mais um dedo o terceiro. Começou então, a passar os dedos no meu rego, e dar cusparadas nele e enfiava novamente.
Comecei a sentir um de seus dedos forçando meu buraquinho... Forçando... Até que senti o dedo entrando! Nesse momento quase gozei, aquilo me deixava louco de tesão.
Quando achei que não podia sentir mais tesão do que sentia, ele penetrou dois dedos em mim novamente... E enfiou até o fundo. Apesar de ter doido um pouco, quando ele começou a mexer com os dedos, colocando e tirando, não agüentei e pedi para min comer
Seu Paulo retirou os dedos, lambeu meu rabo, e quando viu o tamanho do buraco me perguntou Lu já lhe arrombou com aquela rolana não foi seu viadinho:
- Essa sua fruta moleque vai receber uma pica de verdade! Que delicia de rabo! Disse isso rindo com malícia. Sem pensar eu disse é verdade seus filhos adorarão esse meu buceto.
Ele socava uma no pau enquanto olhava meu cu todo arregaçado pra fora, e continuou a socar uma. Obedeci, e mantive assim Enquanto ele batia uma, só ouvia o barulho delicioso das suas bolas batendo nas coxas.
Ele segurou meu queixo com uma das mãos, apertando me fazendo abrir a boca, sem encostar o pau na minha boca, Depois ele começou a bater o cacete, e eu abri os olhos, maravilhado com macho e aquela coisa feia e deliciosa.
Ela me obrigava a levar paulada de pica na cara com força, quase me tirava o fôlego.
Nessas horas, ele não falava quase nada, mas eu sabia exatamente o que ele queria. Dessa vez, sentei-me no chão e ficava engolindo metade do cacete era delicioso sentir a aquele homem delirar e dizer que a puta da sua mulher não gostava de chupá-lo.
Após muitos beijos molhados e chupadas naquela monstruosidade, Paulo posicionou-me de quatro sobre o chão Beijou meu rabo, deixando-o bem molhado.
Então disse: quero brincar de uma coisa minha putinha e de meus filhos.
- Quero que vc sinta algo novo. E dizendo isso eu preocupado, fui acalmado “Fica tranqüilo me fez chupar seus dedos enquanto masturbava meu pau pequeno, que sumia naquelas mãos grandes, Paulo começou a me dedar, com os três dedos já conhecidos.
Logo, ele parou e disse: quero ver como essa boquinha se sai com uma coisinha pra chupar!”. Dizendo isso, me mostrou o que queria que eu chupasse:
Mas dessa vez parecia está maior e mais grossa não me fiz de santa queria mostrar a ele que sabia como fazer meus homens delirar.
Ele se sentou, posicionou seu pau. Ajoelhei-me entre as pernas dele, segurei com as duas mãos, e ainda sobrava pica Lu teve a quem puxar comecei a chupar meio desajeitado no início, mas depois peguei o jeito. Mamei aquele pau de verdade, engolindo tudo que podia, até engasgar. Fazia um vai e vem rápido, e parava olhava aquele homem e não acreditava que o desgraçado iria também me arrombar estava fudido por toda família. Paulo segurava minha cabeça, e empurrava para que engolisse mais.
Quando me acostumei com os gomos da “bizarrice” já engolia aquela trolha toda Paulo não acreditou quando viu aquele cacete sumir na minha boca me chingava de tudo que é nome vaca, puta novinha, viadinho, não me agüentou mandou eu parar, e sentou naquela cama gostosa e disse: senta e engole meu cacete com seu cuzão seu sacana aproveitei dei umas boas chupadas e enchi aquela coisa de cuspe mirei o cuzinho na cabeçorra e comecei a descer naquela pica do pai de meu descabaçador a cabeça passou mais ainda faltava o nó da pica comecei encher meu cu com aquela trolha e fui descendo aos poucos doía mas eu suportava aquela monstruosidade dentro de min Paulo quando viu seu cacete sumir todo só ficando os ovos para fora me levantou em cima de sua taca e começou a andar comigo todo enterrado no seu cacete pelo quarto e sussurrava come minha pica meu viadinho,putinha, e socando como louco, ele era alto e forte como touro um loiro lindo tão quanto o Lu e dizia como a sua esposa Ingrid não agüentava aquela piroca no cu levei ferro nessa posição por uns 03 minutos meu cuceto estava começando a esquentar acho que minhas ultimas pregas já haviam sido arrancadas todas,não suportei a surra de pica e perguntei se ele não iria gozar,ele perguntou se estava doendo eu disse que sim ele arrancou o cacete com força que chegou a fazer aquele estalo ele deu uma risadinha e disse eu nunca comi um cu na minha vida sempre tive vontade desde menino mais os viadinho que nem vc não agüentava e agora vou tirar o atraso pegou um creme e passou dentro do meu cu e no cacetão que ficava duro o tempo todo, parecia uma tromba de elefante mandou eu ficar de 4 e começou a minha aflição quando a cabeça encostou quis me desviar ele me segurou e disse agüenta viado vc nasceu para levar pica e socou uma parte do trabuco e tirou ai ele falou vou te arrombar ainda mais está doendo ele perguntou eu respondi o que vc acha,ele socou e tirou que buraco lindo e grande e socou até a metade e perguntou está melhor agora minha putinha e foi socando tirou de novo e socou ficou nisso por um bom tempo enfiou até os ovos meu cu já estava anestesiado com aquelas estocadas maravilhosas meu cu já havia pego o formato do seu cacete ele me levantou de novo na pica e socou eu me segurava naquele coroa bonito e gostoso e delirava eu pensava cadê o Lu ele sentou novamente e eu descia e subia na tromba, me esqueci de Lu o cara era gostoso fique de frente para ele enquanto ele me subia e descia naquela picona e me enchia de elogios me colocou no frango assado e socou em mim por vários minutos no meu cuceto..beijava minha nuca, disse que ia me mostrar como era levar um pau no cu. Dizendo isso, foi empurrando aquela trolha no meu rabo. Doeu, ardia muito, mas ouvir o coroa gemendo me anestesiava. Ele tirava, enfiava novamente, e foi fazendo assim ate que entrasse metade daquela trolha enorme e grossa quando passou o segundo gomo da pica ele repetiu minha puta de casa com um rabão daquele não deixa eu enfiar vc com metade da bunda de minha mulher já entrou metade. Deixou ela dentro pra que eu me acostumasse, e enquanto isso me beijava, mordia minha orelha. Estava ficando louco de tesão por Seu Paulo e olha que a puta da mulher dele tinha um rabo maior da rua de repente, começou a fazer um vai e vem, devagar, e cada vez mais rápido. Paulo me fez gozar fazendo isso. Retirou a trolha do meu rabo e disse: “Quer beber seu leite?” Dizendo isso, me segurando com a minha mão no meu cacete me fez eu parar todo meu leite, deixando só um pedaço da pica dentro de meu cu ele me obrigou a lamber todo meu gozo adorei o gosto.
Após beber meu próprio esperma ele começou a enterrar a trolha no meu cu que entrava aos poucos, o coroa tinha experiência em comer cuceto ia entrando e saindo pedaço por pedaço daquela trolha no meu buraquinho aquele cacete tão gostoso, aquilo me excitava meu pau não amolecia no colchão do casal muito confortável Paulo abria minhas pernas, me assustei ao sentir algo diferente de tudo q eu tinha sentido naquelas semanas com LU , enterrado no meu cuzinho e só tinha a metade dentro de meu cuceto.Era o caralho de paulo, que ele foi empurrando, e que me deixou surpreso. Com um pouco mais de força, começou a entrar. Não sentia dor alguma, apenas prazer. O pau dele me preenchia de um modo perfeito. Meu anel ficou contraído enquanto aquela pica me desbravava. Paulo foi entrando... entrando em mim, a sensação era incrível, por não saber o que esperar. Aquele prazer não teria fim? Mais um tempo, e começo a sentir os pentelhos encostando em minha bunda. Em seguida suas bolas, quentes e enormes.
Então deitou sobre mim, me abraçando, fazendo o seu pau entrar todinho e ficar dentro de mim. Era ótimo sentir aquele negócio latejando dentro de mim só prazer ao recebê-lo dentro de mim. Tirou o pau do meu cu, e eu senti meu cu aberto. Me colocou de frango assado, posicionou-se, e começou a me comer novamente, enquanto me beijava.
Ficamos assim um bom tempo, tirou o pau de dentro de mim, e disse: “Vem aqui mamar vem! Já tá na hora de vc fazer o que sempre quis!”Abocanhei o pau com fome! Segurava com as duas mãos, que mal abarcavam toda a extensão e grossura daquele trabuco era impressionante como era grande mamei, chupei suas bolas, engoli o máximo q pude, ate sentir tocar em minha goela. Então Paulo disse: “Agora que vc já mamou o pau do seu macho, me deixaeu gozar no seu rabinho deitou-se, e eu me sentei em sua pica.
Fiquei maravilhado de ver aquele pau sumindo entre minhas nádegas, sem desconforto algum. Cavalguei bem gostoso era possível sentir seu pau pulsar lá dentro, me abraçou, me beijou, e num momento intensamente excitante ele levantou minha duas pernas com o cacete enterrado em mim começou a socar meu cuceto Lu não tinha me colocado nesta posição era algo indescritível até hoje quando me lembro do coroa meu cuceto lateja, me vi preenchido por seu leite quente, Paulo sussurrava feito menino me beijava e socava no meu cuceto não agüentei aquela tortura e ao mesmo tempo gozei chamando pelo coroa ele me levantou com a pica dura ainda dentro de mim arrancou e mandou-meeu limpar chupei até amolecer deixei limpo recebi mais uns tapas na cara de pica.
Fui embora com o cuceto todo ardendo mais feliz, comido pelos 03 filhos e ainda o paizão gostosão, pena que eles tiveram que ir embora, pois o pai de Lu foi transferido para Goiás minha família também se mudou para o sul do país, mas sinto saudades daqueles homens.
Se gostaram dê seus comentários.
FIM.

Mande seu conto para nós: supersincerobr@msn.com

Um comentário:

  1. eu gostei da historia tm alguem pra fazer o mesmo comigo?

    ResponderExcluir